sexta-feira, outubro 14, 2005

Hoje eu pareço ter cem toneladas
Caminhando à uma gravidade absurda
Carregando em mim todo o peso de gritos represados
Hoje o dia parece claro, mas é cinza e ameaça doer.
Hoje eu queria teu colo e o silêncio de uma abraço
Mas o mundo vem aos berros bater na porta
E me dou conta que já é tarde
O sono que se atrasou ontem
Quer puxar conversa
Mas não posso
Fica a vida
de novo
prá depois.
Agora o trabalho.

Nenhum comentário: