segunda-feira, outubro 24, 2005

TRIBUTO

Ele se foi
Eu realmente não entendo
Ou talvez simplesmente não queira.

A saudade fica assim escorrendo
Traçando sulcos, cicatrizes por onde pensa.

Ele se foi.
Não importa mais
A dor acabou para ele.

Talvez uivar a solidão ancestral
De madrugada, nas entranhas do sonho.

Ficam dez afiadas esperanças
Para manter um eco na ausência
Que polvilho aqui e lá.

Eu sigo adiante
Um pouco mais de banda
O coração vai pesado
Pesado desse oco que vai aumentando
A cada vez que um deles se vai.

Um comentário:

Anônimo disse...

Adorei.
Só deixa saudades
quem foi amado e
deu alegrias.
Gui