segunda-feira, novembro 07, 2005

MEU JEITO

Quando pareço ausente, não creias:
hora a hoa meu amor agarra-se aos teus braços,
hora a hora vejo meu desejo revolver teus escombros,
e escorrem dos meus olhos mais promessas.

Não acredites nesse breve sono;
não dês valor maior ao meu silêncio;
e se leres recados numa folha branca,
não creias também: é preciso encostar
teus lábios nos meus lábios para ouvir.

Nem acredites se pensas que te falo:
palavras
são meu jeito mais secreto de calar.

(Lya Luft)

3 comentários:

Moacir Caetano disse...

Vi um comment seu lá na Danielle e me apaixonei... rs...
Vim até aqui, e gostei muito do que vi!
E me surprrendi: com tantos links em comum, como demorei tanto pra te encontrar?

Rayanne disse...

Os caminhos estão sendo descobertos agora.
Quem deu asas à idéia deste blog, um cronópio, meu irmão, Paredro.
Esse blog é uma confissão, minha maneira de sobreviver ao massacre do dia-a-dia.
E andei espiando as tuas palavras. Mais um caminho, por aqui.

Rayanne disse...

Ah, tb tem um poema em homenagem ao "Aquele" no www.meuparedro.blogger.com, e, na edição 9 do aquele, sobre o silêncio, tem 2 escritos com a audácia de poemas em "convidados"...comecei a andar por aí, nesses binários.