terça-feira, novembro 22, 2005

****Minutos*****

Todo dia ela acordava e já cedo
Corria brincar com seus queridos minutos.

Eram uns minutos muito azuis e apressados
Escorregando dos pulsos feito peixes.

Mas faziam cócegas
Faziam rir
Faziam medo
Quando saltavam num reflexo prateado.

Mas todo dia ela seguia a brincar com seus minutos
E bailavam em segredo, fugindo à dominância das horas.

Brincavam de roda.
Apostavam corrida (eles sempre ganhavam).
Cantavam, sonhavam.
Eram doces, até.

Um dia ela tropeçou na bengala das horas
E derramaram-se todos os minutos
Vermelhos, assustados, esparramados
O chão em confusão, e os ponteiros parados.

(*Porque como já dizia o poeta, "há minutos vermelhos correndo em nossas veias...)

Nenhum comentário: