segunda-feira, novembro 21, 2005

Um ano

Este era realmente um ano de pernas compridas.
E passadas muuiiittooo largas.

Ele praticamente passou por mim.
E eu continuo aqui feito tonta sentindo o ventinho que ele deslocou.

Era um ano alto. Não consegui ver a cara dele direito.
Apenas sei que foi um desses difíceis. Não foi de muita conversa (tinha pressa).
Sério, compenetrado, ocupado e estressado. Trouxe muitos problemas, resolveu alguns,
não sorriu, passou. Ocupou meu tempo, levou meu tempo, calou meu tempo.

Quer saber? Se tem tanta pressa, pode ir. Um ano novinho vem aí.
Aposto que vai ser mais simpático. Sentar à tarde para uma xícara de chá. E rir.
E responder talvez algumas perguntas. E desdobrar talvez alguns sonhos guardados.
E contar histórias, escrever outras. Redesenhar mensagens nas vidraças e nos sorrisos.

Um ano inteiro prá ser meu amigo. Um ano prá me bordar a memória e a pele. E até.

4 comentários:

Moacir Caetano disse...

pois este ano foi o mais tranquilo dos meus 32...
não diria o melhor, mas o mais companheiro...
me segurou pela mão e me fez carinho...
eu andava precisando, já que o ano passado foi muito ingrato...

Briza disse...

Fala pra ele vir me visitar também?

Rita disse...

Um ano inteiro prá ser meu amigo... nossa, esse texto é muito bom, conteúdo rico escrito de forma tão poética que vcs só poderiam mesmo ser irmãos :) Beijinhos!

Rayanne disse...

É Moacir......prá mim foi complicado....

Falo sim, Briza, não tenha dúvida, tomaremos chá com biscoitos de vento, os três...

Ritinha linda, brigada. Ontem eu tava fazendo propaganda sua prá mamãe.