quinta-feira, dezembro 08, 2005

Indubitavelmente

Levantar mais uma vez as bandeiras cansadas
Comandar um exército de pensamentos
Rumo a uma vitória impossível
Pela chama tênue de um ideal lírico?

Carregar mortos e sustentar feridos
Incendiar os erros e perdoar as voltas
À marcha improvável de um quando sem direção?

E novamente quando sangrar a aurora
Manchando a exatidão do horizonte
Rufar os tambores e brandir as ações
Por um punhado manso de lealdade e intenções?

Eu vou.

5 comentários:

Rocky Shade Metal disse...

Pode ser que faça fisicamente, mas a gente sabe que não vai ficar só no "papel".

beijos.

Briza disse...

Me leva?

Sr. R disse...

iremos juntos
desbravar horizontes
sonhos perdidos
atrás do velho monte

iremos juntos
no caminho disperso
sonhos achados
no meu, no seu, no nosso verso.

beijo rayanne ;)

Moacir Caetano disse...

Ah...
Deu a exata dimensão épica que existe no ato de escrever...
Beijos!

Rocky Shade Metal disse...

vc tá tristinha?? anda tão sumida... nem escreveu hoje...
Tô te achando deprê.
Conta comigo.