quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Eu trago apenas estes versos cansados
E toda essa fúria sangrando as paredes...

A sensação constante de estar caindo
Caindo bem dentro, no fundo, meu centro.

Talvez eu tenha sido

Como este verso fechado
Sem saída, implodi.

** Porque o poeta me disse que eu tinha que parar de doer tanto...
Mas parar é um gafanhoto de salto longo, que me foge.

5 comentários:

Rocky Shade Metal disse...

Parar nunca! Ouviu?
Um tempo é até admissível, mas parar não é pra vc, guerreira.
E cair é bom,a gente sabe que é.Beijos pra você garota!
E muita força!

RicardoPalacio disse...

Isso de parar não deve ser tão dificil... Alcançar esse gafanhoto eh simples: basta não pular. Complicado eh saber qual bixinho a gente deve alcançar, pq as vezes a gente pensa que eh um soh e quando vê alcança uns 10 e acaba parando coisas demais...

Na dúvida, acho que eh bom sair pulando por aí sempre! no pior caso vc foge daquelas coisas chatas que te perceguem... e pulando a gente fica mais perto do céu, né? ;)

A czarina das quinquilharias disse...

os primeiros dois versos, eu queria que fossem meus.

Moacir Caetano disse...

e a felicidade é uma águia!!!!!!!
mas tem que saber montar!

anarco-coiso. disse...

essa menina metal sempre interpreta tudo errado.
( tsc )

parar é lebre de história, mas
no que se trata de história a história é tua.

Porque não voar um pouco ?