quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Sem tempo

Sem tempo prá pensar
Sem pensamentos prá tentar
Outra vez entender o caminho
que se deve caminhar sem entender.
E eu sinto tanto.
Sinto a morte de tantos minutos queridos
Chacinados e esquecidos
Dentro e bem fundo de cada vez que eu respiro.
E esse grito rouco que me escapa
Lamento de poema ferido,
Uma vírgula afastada
das conseqüências inevitáveis da rotina.
Creia-me quando eu digo
e não creia neste sorriso:
Sorrisos
são minha maneira mais discreta de sangrar.

6 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

sorria quando estiver brava.
é apenas outra maneira de mostrar os dentes.

muito bom mesmo. palmas.

meu paredro disse...

Sangrar minutos vermelhos, certo ?
Em oposiçào àqueles brancos que nào são o que sabem.

Rayanne disse...

ahã...

RicardoPalacio disse...

cuidado só pra não pensar mais que existir... :)

rocky shade metal disse...

Então chore para curar as feridas e voltar a rir sem ser pra disfarçar.

Beijão linda!

camila disse...

grand finale!!!!!! lindo.