sexta-feira, março 17, 2006

Porque. Tinha que acontecer tudo isso, é como uma metamorfose, e não dá prá pular pedaços. E ontem quando eu ia de um lugar a outro, tinha um vento quente soprando forças. E o céu se espreguiçando, bonito, bonito. Porque é assim. Como as fases da maré, os cios da lua. E é tão bom sentir as pontas dos dedos brotando, e os sentidos como tentáculos, farejando a vida. Essa linha tão tênue que nos separa do desespero, uma cortina de almas, um mergulho no espelho. Hoje eu sei, após uma longa jornada dentro de mim, eu sei que não posso desistir. Porque ser humano é ser algo como uma promessa, e as promessas não devem ser partidas, porque doem. Hoje eu quero dar colo. Quero pintar de azul os olhos do medo e de vermelho os segredos. Porque tão pouco tempo. E há tanto que sorrir.

Tem um poema que hoje me cabe:

FERROS EM BRASA
Agora tragam-me ferros em brasa
E marquem meu corpo
Que eu estou forte
Estabeleçam leis
E eu as transgredirei todas
E determinem padrões
Que eu os romperei
Cortem minha cabeça
E eu sobreviverei apenas
Com o coração
(Glória Horta)

7 comentários:

ricardo disse...

parece dificil de cumprir, essa tua promessa...
mas boa sorte com ela!
(segredos ficam bem, de vermelho...)

:)

A czarina das quinquilharias disse...

mas quando a gente chega do outro lado, daí é invencível

Moacir Caetano disse...

então sorria, dê beijos e abraços e gargalhadas!
o dia está colorido e quente, como convém à felicidade!

rocky shade metal disse...

quando é pra acontecer, simplesmente acontece. A gente não pode controlar...

Luciano disse...

Achei seu blog no da Rita Apoena. Gostei bastante. Abraços
Luciano

Visitem "PAPIROS DE ALEXANDRIA"
http://papiros.zip.net

Briza disse...

Estrela enfeitando meu céu, tu. Azul e vermelha.

Sergio Domingues disse...

andei tão perdido que não me sei. mas nas andanças lembrei de você. beijim.