quarta-feira, março 15, 2006

À Todos Vocês

E essa noite eu visitei um mundo esquecido,
e sonhei com voracidade. Abri portas, atravessei dobras.
Visitei tantas pessoas distantes, amadas. Pesquei palavras,
como peixes tão grandes, passeei nos labirintos e nas curvas da estrada.
Fiquei entre quatro paredros. Passeei num calhambeque rosa,
e foi um passeio tão bonito. Poetizei, e era um mundo estranho,
mas a sabedoria que inundava as horas nascia de puro improviso.
Garatujei notas de rodapé sem aspas num diário de morte, depois,
flutuei com a Briza, bebi tequila ao sol, pensando sem querer,
e em todas as dobras, as portas, nos caminhos, mergulhei sorrisos.

Ah, tanta pena acordar. Havia poeira brilhante do caminho nos lençóis.
Havia segredos rindo emaranhados no cabelo, e a saudade em cada
preguiça. Vsitá-los em breve, espero, tão logo a noite pouse sobre os medos.

8 comentários:

Sr. R disse...

homenagens doces, como vc. honrado, mui honrado cara amiga.

A czarina das quinquilharias disse...

os sonhos tem um jeito de serem mais leves e sábios que as próprias palavras.
agradecida também pela delicadeza da homenagem.
beijos.

paredro disse...

:)

Anônimo disse...

A sua visita é sempre uma honra, Srta. Rayanne.
um grande beijo, e apareça sempre que quiser.

:)

Moca
http://www.tequilasun.blogger.com.br/

ricardo disse...

eu acabo de me sentir feito aquele menino da terceira série, que respondeu pela primeira vez uma pergunta da professora na aula, ganhou um olhar terno e saiu por aí todo orgulhoso pelo resto do dia!

:)

Moacir Caetano disse...

a boa viagem é aquela que nos faz felizes...
beijos!

Ana G. disse...

vc me fez sorrir.

Briza disse...

Vem de verdade, vem.