terça-feira, maio 02, 2006

Caleidoscópio

E eu tenho tantos vérices
que acredite:
Me encontrando n'alguma dessas vielas do dia-a-dia
você jamais me reconheceria.
E se, jamais entenderia o olhar azul
ou a pele crispada, ou apenas a indiferença.
Angulosa, posso ferir, me ferir ou perder-me dentro.
Você não acreditaria,
os olhos de pressa e o tanto-por-fazer,
o cansaço permanente e um eterno vazio,
a vertigem da mente sinuosa,
o riso bobo, criança,
o olhar sedutor de um eterno arrepio,
a dor armada de uma batalha incessante,
a ansiedade, os dedos de espera, e o tanto-querer;
são tantos vértices onde me julgo e me protejo
que reflete em mim tanta luz desse mesmo desejo,
em que torno necessário o mesmo instante,
Onde procuro e me desfaço, no encontro
De tudo que oculta a simplicidade destas linhas
onde teço, silenciosa, um novo ângulo,
para observar-te a beleza nebulosa.

8 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

tenha tantos vértices quanto necessarios, desde que a luz ainda possa convergir pro teu coraçao.
bjo

paredro disse...

Caleidoscópio é isso tudo, e o que ainda vai ser. Saber brincar, saber perder, preparar devagarzinho a mágica. Porque sim, existe uma para fixar o impossível.

pedro pan disse...

, e em cada vértice, um texto, uma frase. risos bobos. e olhar azulado. em caleidoscópio.
|beijos meus|

rocky shade metal disse...

ah estes ângulos...
...Inconfundíveis.

Beijao

Diana disse...

lindo.

da gaveta disse...

linhas, ângulos, vértices... tão simples, tão complexos.

ocultam, mostram, refletem, ferem e protejem... mas são necessários. ah, são.

camila disse...

sua riqueza de palavras, expressões, definções e metaforas são simplesmente encantadoras.

Múcio Góes disse...

encontrei no tempo
rastros seus, no meu...

encontrei, e vim,
no seu contratempo.

belo!

[]´s