segunda-feira, maio 22, 2006

Porque a velha angústia gastando passos, escrevendo trilhas fundas como cicatrizes dentro do que eu sinto. E eu sempre me senti só, imersa nessa confusão de vozes, pressas e esperanças, uma célula sozinha junto de tantas outras células sozinhas, todas querendo fazer parte de um mesmo coágulo indissolúvel, mas manchando sozinhas a turbulência destes dias. Não sou a única, eu sei.
O vazio sorri sem graça, bate de leve em meus ombros: eu sempre soube que você nunca iria embora. E um sonho tolo brinca romances inúteis e puídos na beira da calçada. Não cabemos dentro dos braços frios da razão - senhora. A razão, que me toma pelas mãos (um toque frio e seco) e me conduz, semi-sedada através destes dias tantos.
E às vezes nem dói tanto, apenas a nostálgica sensação de ser um programa, um mecanismo, uma peça dessas tantas que engrenam tudo o que nos vive. Eu às vezes quero sair correndo e gritar. Para que me julguem mesmo louca, para que me tranquem nos portões da alma, para que eu possa viver enfim de sonho.

9 comentários:

Leandro Jardim disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Leandro Jardim disse...

O comentário ao belo texto será um poema meu que perpassa o mesmo tema:

EQUILÍBRIO

Oh utópico equilíbrio,
Daqui dos trópicos oro pra ti.
Como se fosses um Deus antigo,
e eterno, e amigo.
Onipresente escondido,
à minha mente sempre bem-vindo.

Minha estimada moeda que não pára em pé, de lado.
Minha cenoura na frente presa à cabeça por um cabo.
Sou um reles mortal: é na urgência da cura que serás lembrado.
Pois quando te esqueço é que sou inspirado.

Sabe, minha assimetria é meu cartão de visitas,
minha boa-ação e meu pecado.
O que em mim aos outros intriga é justamente a parte esquisita.
Portanto aqui, de bom grado, sigo desequilibrado.
Desejando, sempre, que sejas louvado!

----
obs: foi mal, eu tinha cometido um erro, apaguei o post antigo e lancei o corrigido! sorry... :P

A czarina das quinquilharias disse...

viver de sonho conforta, mas também sufoca.
e a razão nem sempre tem razão...

da gaveta disse...

Você não é a única. Ainda bem que sabe.

Múcio Góes disse...

razao, rio raso da emoção...

[]´s

Moacir Caetano disse...

sonho não enche a barriga de quem é faminto por realidade...
beijos!

Indianira disse...

Olá.Vim aqui através do blog do moacir...adorei!!!É incrível como há tantas pessoas no mundo imersas nos mesmo pensamentos.Bjos

pedro pan disse...

,o vazio que sorri sem graça, muitas vezes dilacera...
|beijos meus|

Octávio Roggiero Neto disse...

Mais gloriosa será a emancipação do espírito se conquistada com ternura. E pensar que a loucura é só um jeito que encotramos pra manter a sobriedade e seguir adiante...