terça-feira, junho 20, 2006

Acontece.

- Ei, você. Acorda. Há tanto o que entender! (sacudindo seu ombro).

- Me esquece. Não quero saber (emburrado, olhos fundos, se enrrola de novo).

- Mas eu preciso tanto te ouvir. Explicar, esquecer. Sozinhos não podemos, você sabe, não podemos viver (os olhos úmidos).

-E quem disse que eu quero? Que vale a pena? Se quando eu acerto o compasso você perde a dança, tenta teorizar os passos e não me aquece? Não quero, esquece.

-Mas eu posso tentar mais uma vez? Apenas uma, quem sabe agora eu tenha entendido o ritmo, talvez não haja tantos porquês. Deixarei que você me conduza e serei mais leve, tentarei florir mais graça e terei telas cheias de dentes - e sorrisos.

-E você consegue? Quantas vezes, e cada vez que muda o tom você perde o passo, você pàra e fica olhando seus pés, tentando entender se foram os saltos, ao invés de se concentrar e voltar à dança, à festa, ao frisson.

-É, talvez eu não saiba como. Mas preciso de você (estende as mãos).
-A verdade é que acostumei aos seus tropeços (segura-lhe as mãos).

Olham-se demoradamente.
Porque o coração tem razões que a própria razão desconhece.

20 comentários:

rocky shade metal disse...

E se eu dissesse que o bailar da vida é diferente, eu mentiria.
É assim, ó...
um esperando do outro.. e as expectativas não são correspondidas.
Pelo menos se dão as mãos.Sinal de que nem tudo está perdido.

Beijos..

(êbá.. hj eu fui a primeira a conmetar!! hehe)

Leandro Jardim disse...

às vezes é bom que o coração assim o seja, né?!

bom mesmo!

bjs

renata disse...

caramba, eu sorri demais. vários dentes. que bonito.

pedro pan disse...

, com tropeços ou não, tuas palavras dançam aos nossos olhares emocionados. inda causa sorrisos em estas manhãs...

|beijos meus|

Nirton Venancio disse...

não há mistério maior do esse orgão coração dentro de nós.

Sergio Domingues disse...

...

por que o coração tem razões que a própria razão desconhece?

...

nas minhas ausências sempre me pergunto isso.

Abraço

Lubi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lubi disse...

E, quem somos nós para entender?

Beijos, querida.
:*

Sr. N disse...

que bonito!

Múcio Góes disse...

...e juntos, seghuiram até a janela, e, ao som da mesma música, dançaram com os olhos diante da paisagem-platéia.

:*

Lubi disse...

Acontece.
Ah, mas com amor... Com amor tudo sara.

Octávio Roggiero Neto disse...

Rayanne, no fim das contas reconhecemos nossa pequeneza e essa carência toda que nos é peculiar. Aí enlaçamos nossas mãos. O amor é isso: compreensão e condescendência.

Marla de Queiroz disse...

Entre passos, pernas e tropeços...O que importa, se temos asas?
Esse canto seu era tudo que me faltava...

paredro disse...

imaginei marionetes. existencialistas.

Nanna disse...

Porque de razões [des]conhecidas o amor é feito... Beijos! :)

Bela Caleidoscopica disse...

Ola.
Passei aqui há um tempo e me encantei. Salvei nos meus favoritos e voltei hoje pra me encantar definitivamente.
Lindo esse seu jeito de escrever.
Um beijo
Bela
ps: fiz um link la no meu blog, ta?

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

I'm impressed with your site, very nice graphics!
»

Anônimo disse...

Really amazing! Useful information. All the best.
»

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado