quinta-feira, setembro 07, 2006

Galope vermelho.

Palavras soltas
_segredos_
Galopando a rima dos meus medos
_Ágeis_
Saltam sobre os dedos
_Indomáveis_

De relance através dos arvoredos
A vasta crina confundindo o horizonte.

_Vermelho_

Olhar no espelho
O amanhecer
A fonte selvagem

Derramando em pêlo
Pele
Palavras ariscas em tropel
Delineando poesia
Sobre papel.

**Inspirada no belo poema _Indomáveis_, do moço Diovvani <http://www.diovmendonca.blogspot.com/>

20 comentários:

Gil disse...

Passarinhos pipiuando no norte da grande cidade.

Forçaê =)

rubo jünger medina disse...

Rayane, um sinônimo, uma emoção por trás de cada palavra....
Beijos. Bom feriado!

Marla de Queiroz disse...

Corro contra-o-tempo pra te ver...Se é que ainda existe algum lugar em que não nos tenhamos encontrado. Sua poesia abraça o meu lirismo. Suas estrelas cadentes, cadenciadas,derramam flores no meu jardim.
Você, moça, me apresenta a palavra na sua mais plena nudez e possibilidade de acasalamento.
Sua poesia me fascina, embasbaca...
Só podia ser sua fã em toda a acepção da palavra.
Porque eu gosto tanto da beleza.

pedro pan disse...

, palavras soltas...indomáveis. a correr os papéis, as falas, frases, canções...
|beijos meus|

Múcio Góes disse...

na pele,
no pêlo,
apelo em verso,
pelo papel.

belos, os dois!
bjo.

Ju disse...

Que coisa mais linda!
Me fez lembrar de Sílvia Plath:
(...)
"Essas palavras secas e sem rédeas,
Bater de cascos incansável.
Enquanto do fundo do poço, estrelas fixas
Decidem uma vida".

Beijos

DIOVVANI disse...

E aí moça? Estive aqui mais cedo, mas apenas agora, pude dedicar a atenção que merece seu gesto de carinho. Suas palavras e poemas também (ins)piram. Qualquer dia, miro no sol, os espelhos das minhas retinas-comovidas, e, reflito de volta, aí, direto em seus olhos alguma coisa partida de um texto seu. MontanhosoAbraçodasMinasgerais.

Mendoscopia disse...

Estrelas....
Acho q seria a melhor maneira de definir você, sempre estrelas...estrelase assim seu brilho reluz sempre mais!
Obrigada por toda doçura e tantos lindos textos!
Bjos

Marcia

paula disse...

Me deu uma sensação de liberdade tão boa ler teu poema... :)

diovvani disse...

Rayanne, poderia enviar-me seu e-mail no diovvani@yahoo.com.br?

rubo medina disse...

O prof. Felício Galvão entrar num tremendo rolo??? Veremos, mais pra frente... rs. Você verá...
Obrigado pelo interesse. Continue seguindo as pistas.
Beijos.

cra disse...

pelo infinito despreocupado morrerei de ódio e tédio. presos ao antepasto. fendidos. cansados. o futuro cauteriza meus olhos. só posso pensar no que não existe. nos termos abstratos. e nas miniaturas. o mar explodiu. eu só podia segurar um celular e partir um melão mais tarde. moça escreve poema em blog e existe. póxima manchete. volte. busque. a questão é outra. marilena chauí está completamente louca. parei com a economia política. quero um doce de abóbora em formato de coração. estrelas povoam. gosto de marc chagall. no entanto: cra.

Dora disse...

Ficou uma "interação" bonita! Diovvani sugere a idéia das palavras indomáveis e aqui, um exemplo de como elas "agem": galopam nas mensagens dos dedos e das coisas, num tropel "vermelho".
Fogem de controle, mas, na verdade, acabam domadas, pois que aí está o poema acabado e belo!
Beijos.
Dora

Húmus Wufus II disse...

Gosto do teu poema e como se dispõe a palavra e sua procura - penso que escrevemos poesia um tanto quanto "igual".

abraços

Rita Apoena disse...

Agora que eu não tenho mais blog, oba! Terei mais tempo para visitar o seu e aprender com a menina Ray. Cada post que eu perco, perco um pouco da vida.

Leandro Jardim disse...

Preciso ir lá... pra ter inspirado coisa tão bonita!

Beijardins!

camboleta disse...

palavras...às vezes dispensáveis..outras vezes simplesmente perfeitamente reunidas
como agora, como sempre quando saem de ti.
bela.
=D

Mary disse...

Palavras galopam
nos verdes pastos
da poesia...


Belo!

Bjus!

Octávio Roggiero Neto disse...

Leia o poema "Egos" aqui: http://www.identidadeperdida.blogger.com.br/
Depois leia "dias daqueles" aqui:
http://primiciaspoeticas.blogspot.com/2006/07/dias-daqueles.html
O que você me diz, poetisa?

Doca Soares disse...

"Delineando poesia
Sobre papel."

Tocante