quinta-feira, novembro 09, 2006

Das decisões.

Choveu tanto e depois.
Flor seca guardando a memória
amarelecendo duas páginas.

Caminho pincelado em sobretons de vermelho.
Prá onde eu posso, aonde ainda quero ir.

Agora a sensação estática de uma falha,
Algo suspenso ainda, livro aberto, frase inacabada.
Falta saber amanhecer para pontuar enfim o poema.
Com duas gotas.
Ou duas risadas.

10 comentários:

paula disse...

Deixa que a chuva, quando voltar, pontue... :)

diovvani disse...

Prefiro, por último, risadas! Dizem que é melhor. Depois da chuva vem...
MontanhosoAbraçoDasGerais.

RicardoPalacio disse...

deixa que o poema se pontua.
guarda as gotas e as rizadas pra ti
(porque as vezes elas podem faltar...)

:)

Paulo Vigu disse...

E o poema, ao amanhecer, irá pontuar o enfim ... entre gotas e risadas ... entre pontos e pontes até o enfim. Riodaqui/ beijo em você/ Paulo Vigu

Nirton Venancio disse...

sua poesia amanhece sempre quando a gente lê...

Leandro Jardim disse...

vejo que o momento é , então ainda, de dois pontos: ":"... hehe

lindo!

beiJardins

Rocky Shade Metal disse...

para mim, duas risadas são melhores que duas gotas...

Marla de Queiroz disse...

Amanhecer é da competência dos dias.O poeta tece a paisagem.

Seus poemas, sempre tão incríveis.

Fã, fã, fã.

Ju disse...

Vc é linda, amo ler vc.
Beijos e se cuida, tá?

Keila Sgobi disse...

Rayanninnha,
coloca-se um ponto. Final. Ou não.
Não importa. Todo fim anuncia um novo começo.
Recomeçar é difícil, mas precisamos lutar!
Recomeçar e nos dar a oportunidade de re-conhecer o mundo ...
... e nos re-conhecer...