segunda-feira, novembro 20, 2006

Do (re) encontro.

Para Marla, Jardim, Grilo, Jordana, João Antônio e demais participantes da sinfonia...


E quando eu desci os passos das nuvens e toquei o chão,
o frio quis ainda saltar alto no estômago, tremulando as mãos.
As mãos suadas e a emoção descompassada.
Um abre-fecha rápido, como um piscar de olhos,
e já num sorriso: amados.

Um abraço de almas em festa, a impressão cognitiva
dos que estavam presentes, apertando os olhos de vontade.
Os abraços eram o mundo, os sorrisos desmanchavam qualquer cansaço.

E depois.

Depois uma dança de almas encantadas, apaixonadas,
desfile de belezas, laços irmanados de carinho, sol, rebrilhos.
Tantas emoções irradiando que todos apanhados, como uma teia.
Uma teia onde tantas almas se lançaram, tornando em infância toda a renda.

E acontecemos sem muito juízo, guiados pela mão doce do universo que era a vida,
Sem muito sono ou sonho porque tanto amor bastava.
Ali nasceram idéias, flores, fatos, sorrisos, lágrimas em verso ou felicidade.
Toda a conspiração da vida, admirada, seguiu os nossos passos.

E veio a despedida, com a sensação de âncoras fundas dentro, pesando longas saudades.
Mas a sensação de que a distância é incapaz de desmanchar o verso em laço,
Letra, abraço: ainda nos protege o amor irmão, o amor amigo, o amor em si,
Traduzido em tudo isso que simplesmente somos: poesia.

Eu amo vocês.

11 comentários:

Marla de Queiroz disse...

A intensidade com que tudo aconteceu acrescida da intensidade com que sinto e vivo as coisas, faz com que eu arda de saudade e que um amor latejante me contorça o peito...chega a doer...Acredito tanto na Dança do Universo, mas não posso deixar de ficar pasmada como na minha vida tudo parece que é mágico.Ficou tudo tão maior no meu mundo, Flor, depois de todos os abraços que nos demos.Vc é uma extensão de mim,sempre foi,estamos tão conectadas que vc vai ouvir aí os ecos daquela minha gargalhada.Eu eu verei o teu sorriso desatando em outra...E quando nossos corações apertarem, mesmo à distância, poderemos nos curar com um simples toque no nosso peito.
Tua existência me ampara.
Eu amo vc!
Vou sentir saudade pra sempre.

Marla de Queiroz disse...

Piadinha interna, porque eu não resisti:
" E aí, os colega,põe a gordura pra ferver que as bavária tão gelando.Vou frita cocreti e colocar um zeca pagodinho pra gente escutá enquanto toma sol na laje, já é?" ahahahaha..." Não atende o celular, não!!!"hahahaha

Te amo, Flor.

Múcio Góes disse...

encontra um tempo, encolhe o mapa, e vem fazer rio de poesia no meu sertão, vem!...


bjo!

Leandro Jardim disse...

Olha que esses blogs ultimamente estão parecendo diário, depois o pessoal reclama... hahahaha!

É que quando a intesidade é tanta
A explosão demanda, como um reflexo
A reflexão espontânea do mundo
É resposta vivida dos nexos
Conspirando ao amor, pairando por tudo

(Aí xcoléaga num resiti a terminar breguinha assim e com amor... hehe... sssscolega tu perdeu o último capítulo, eu e marla, fila do mercado, eis que eu escuto "DÁ LICEEEENÇA COLÉGA!" Me afasto e a colega vai direto na prateleira sacar... adivinha... as baváaaaria... hahahahahahaha com algum floreio, mas serinho que foi assim)

linda linda homenagem
é recíproco
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
(exclamações de intensidade)

beiJardins em cada ponta da estrela mais querida!

cra disse...

como vai coltrane?

Octávio Roggiero Neto disse...

Aqui a Poesia já se consumou em comunhão transcendente e venceu a beleza efêmera!

Paulo Vigu disse...

A sensação do que está vivo e dividido entre os pares, entre os membros da sinfonia deixa claro a abastecida que Rayanne deu no Rio. Quero ir também. Vamos "acontecendo sem muito juízo" Ok! Riodaqui/ beijo aí/ Paulo Vigu

diovvani disse...

E eu não fui banhar-me no rio com você e toda essa galera maravilhosa. Não ví ao vivo o sol-riso de Marla. Saiba que você, apesar d´eu conhecer apenas virtualmente é em mim um sentimento bom e real que brilha em mim. No fim de semana, estava num supermercado e ví uma meninha que chegou para mim e sem mais nem menos me disse:
- Quer saber o meu nome? - disse que sim. e ela...
- Rayanne. - Coincidência não?Batemos um papo e claro minha amiga, lembrei-me de você.

E.T.: estou meio pra baixo. faleceu um amigo poeta do Rio que viria aqui em casa em janeiro. Nel Meirelles, conhecia?

diovvani disse...

Desculpe o comentário ter ficado meio esquisito. É que quando fico triste, raciocino e escrevo ainda pior que o meu "normal" que, já não é bom. Abraço.

Camila, a Rocky disse...

passei aqui, viu??
rsrs
nem muito o que dizer(...)

Elenita disse...

Texto mais lindo =))
Um beijo.