sexta-feira, dezembro 01, 2006

Conexão.

Fios invisíveis unindo as intenções
Gestos amarrados aos sorrisos,
Lágrimas coladas sobre a pele alva dos acontecimentos.

E tudo se move sincronizadamente,
Como a canalização do ódio urbano, gerando um novo ódio,
Um quadro vermelho cravejado de balas na esquina de sexta.
Como o amanhecer de uma flor que se encontra com o mundo,
Gerando o encantamento no ruflar das cores da borboleta,
Unindo na manhã de Domingo para sempre o amor, infinito enquanto dure.

E talvez ainda o sonho de todas as gentes
Canalizado assim nesse amor em fios transparentes,
Seja capaz de urgir contra a cadeia inconseqüente e frear a vida
Que principia a ruir sob a cacofonia humana dos nossos pés distraídos.

Porque mesmo quando os olhos avermelham
Ainda posso crer que seja pelo orvalho no pôr-de-sol que sangra,
Parindo uma nova noite, uma nova lua, um novo sonho. Até que.

13 comentários:

diovvani disse...

"E tudo se move sincronizadamente,
Como a canalização do ódio urbano, gerando um novo ódio,
Um quadro vermelho cravejado de balas na esquina de sexta."

Eu me abismo com você!

Hoje, o sabiá não cantou. Espero que esteja tudo bem.

Abraço Grandão.

A czarina das quinquilharias disse...

a beleza que surge por entre as frestas da calçada.
se eu fosse você, eu corria pro blog meu ou do jardim ou da marla :)

Leandro Jardim disse...

Uau
e o meu peito rasgou
explodindo esse orvalho vermelho
e revelando um por-do-sol
tudo apenas justificado
pelo brilho dessa estrela
que mais e mais uma vez renasceu
e nova beleza revelou

beiJardns

Marla de Queiroz disse...

Porque desde que sua poesia invadiu minha vida, cada pulsação do meu coração é uma estrela que se acende em meus olhos.
Não dá pra não celebrar tua existência...
Vai lá ver o que fizemos pra vc.
Porque tem amor demais nesse fios invisíveis.

Doca Soares disse...

Partindo um novo sonho até que estabeleçams novas conexões, até que deletemos a quem um dia nos foi tão caro, até que novos perfis sejam adicionados, até que aprendamos a usar nossa interação, até que saibamos um dia a comunicação hipertextual de um amor que idealizamos...e só...

Múcio Góes disse...

no pôr-de-sol
que sangra
meu pensamento
singra...


Supernova!

:*

paulo vigu disse...

"pela cacofonia humana dos nossos pés distráidos" é muito verso. é ser tão distraído como sou, como me sinto aqui no meu sertão. Li em outros oásis versos pra você e tenho como uma das poetas de ponta. Grato por mergulho lá. Riodaqui/ beijo aí / paulo vigu

pedro pan disse...

, "Como o amanhecer de uma flor que se encontra com o mundo" este verso tomou toda minha leitura, deste versos que nos pegam e não querem largar nosso pensamento. causou/causa imagens lindas...
|beijos meus|

Aline disse...

Eu acho linda essa conexão... Emociona muito quem a observa.

Bjos com carinho.

Juliana Marchioretto disse...

lindo texto!

beijo

camila disse...

e os dedos aqui também conectados, cruzados, mais especificamente, desejando que as belezas da vida ainda sejam maiores e mais fortes do que todo o resto cinzento...

Ju disse...

Meus olhos lacrimejam ao ler esse texto e pequenas estrelas saem de mim.
Lindo como tudo que vem de vc.
Beijos com amor

? disse...

Sim, sim... ser maquínico, não te faltarão uns minutos... rouba-lhes ao teu patrão!