segunda-feira, dezembro 18, 2006

Série Parcerias - Poemas de Comunhão

Por Rayanne, Czarina e Gil (Paredro)


Do Giro do Guarda-Sol

Afinal desfeito o engano:
Que o melhor de tudo
Ainda é a ausência de um reto plano.

É a ausência do sentimento mudo,
é a teia cruzada de arame
é o jogo de ludo mano a mano
diante do prato de inhame
e o passo a pressa acontecendo
direto perfeito até que, cruzada a crase,
o quase desengana.
Secreto frio amarrando entranhas
Desfiando a face do maior capricho
De um universo composto em frases
Que se ganha.

É jogo aberto, fechado
ou jogo do bicho?
(é só outra fase),
me disseram em cochicho.

A única certeza é que é errado,
O único erro é que não há certo
Só o que existe é uma presença,
Que cá, não está.

11 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

não vou comentar pq faço parte né?
queridos, lindos. os dois. ê familinha...
:*

Lubi disse...

Melhores coisas são essas com várias mãos.
Tantos mundos.

Beijo.

Nirton Venancio disse...

um beijo no coração por sua poesia nos meus olhos...

André Lasak disse...

Muito bom! Três grandes cérebros reunidos, entorpecidos com cerveja e proporcionando ótimos textos!

Beijão!

Beanes disse...

ô inveja dos 3...

Juliana Marchioretto disse...

gostei. bela parceria.

beijos

cra disse...

faltou muito pouco para a indecisão assumir a matéria do sangue. diria que mais dois segundos e ela seria um tipo de sangue organizado no corpo. o quase é um problema que pensa por si mesmo. igual quando alguém decide correr com as pernas, sem sal.

moacircaetano disse...

"É a ausência do sentimento mudo,
é a teia cruzada de arame
é o jogo de ludo mano a mano
diante do prato de inhame"

perfeito!

pedro pan disse...

, presença de saudade...
|abraços aos 3|

Múcio Góes disse...

mesmo auSente o sentir Sente.

bela parceria!

bjos!

Supernova!

Leandro Jardim disse...

isso me soa música com cheirinho de cerveja!!!! delícia pura!!!