quinta-feira, dezembro 07, 2006

À vocês, amores.

E eu sonho de cá todos os risos de lá
Onde a positividade encontra seu pólo
E em ímã, universo atrái as sínteses
De todas as cores, de toda poesia,
Estancadas as dores.

Abriu-se dentro uma porta de onde
eu salto suicida e renasço em todos os verbos
encharcando a carne da madrugada de versos.
Então não cabemos líricos, físicos, estáticos:
Somos a ode em movimento das retinas.

Ao calor que se espalha de um abraço
idealizado, conjugado e repartido
Entre os bites e megas de cansaço
Um baque surdo semelhante ao grito
Invade amores consumando o regaço.

Assim, todos os dias ao descer os olhos,
Em fervura eu desejo os seus sorrisos
Para que sempre nessa comunhão de instantes
Eu possa partilhar do rumo dos seus risos.

21 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

idem. ah, está próximo o dia :)

Juliana Marchioretto disse...

lindo, lindo, lindo!

e lindo também o comentário que vc fez. fiquei emocionada. obrigada.

voltarei aqui.

beijos

Lubi disse...

Ah, flor, lindo. Tinha que ser você.
Já sabe o que sinto, né?! AMO.
Beijo.

moacircaetano disse...

tão belo...

Octávio Roggiero Neto disse...

Rayanne, sei que faço parte do "s"!
Acho que é este o momento em que conquistamos a verdadeira literatura, que é a que promove a aproximação. Mesmo porque, não ocorre o diálogo se não existe um mínimo de afinidade. Sinto que estamos todos crescendo juntos em Poesia e em espírito. Somos testemunhas da vida uns dos outros. Pouco a pouco se nos revela a nossa identidade. E o que mais faz mais feliz é que a tendência é o estreitamento dos laços e o alargamento dos abraços. Sejamos o que já somos: amizade pura, raridades humanas, Poesia e vida em um corpo que se descobre para exibir sua real natureza.
Renascer em todos os verbos, sim, sempre sob a luz intensa do Verbo Supremo!
Adoro você!
Beijão!

Willians disse...

e la lomge,quando nada mais for por sobre nossas cabeças e nosso bolsos.la enfim a sombra dos que quiseram e saltaram; e nunca mais foram entendidos enter os que se arrastam na luz mentirosa do mundo humano

Rocky Shade Metal disse...

Um beijo pra Ju mais sumida e querida de todas.

cra disse...

//nas horas amargas, imagino bolas de safira, de metal.// rimbaud

Luzzsh disse...

Oi Rayanne,

Ai...belíssimo...e tão doce!...

Beijos...

Anônimo disse...

Porque um dia a moça estrela, descobriu que haviam amores de todos os sabores e se encheu de encantamentos. Ela sorriu e pensou que nunca mais ficaria triste...

Múcio Góes disse...

estou pra vc, sempre!

bjs estelares!

Marla de Queiroz disse...

Um dia eu deitei a cabeça no seu colo...tanta confiança pra me entregar naquele descanso.Estou nutrida até hoje.
Não quero dizer mais que isso, vc sabe.

Doca Soares disse...

"Somos a ode em movimento das retinas"

Retinas que deleitam-se de prazer a cada visita nesse espaço!

Juliana Marchioretto disse...

ó: te linkei no meu blogue, tá?

beijo

Leandro Jardim disse...

Essas duas estrofes eu senti na alma, bateram familiar... mas com uma beleza sublime!

Rio, andança
e sorrio
seus sorrisos
só risos
(e boas lembranças)

Beijo-laços nas bochechas da alma
Jardinzin

Tahkren disse...

Quanta paixão! Lindo.

Baccios,
TORO
(adoro tuas estrelas)

paula disse...

tããão bom compartilhar sorrisos!! :) :)

paulo vigu disse...

Vi a carne da madrugada exposta na mesa e a moça versando, enchendo de versos, como se a temperasse. Rayanne - passo aqui na maior cumplicidade e recíproca. Tenho o mesmo sentimento pelos poetas. É a nossa missão. Riodaqui aí, sempre/ grato por você lá/ beijo / paulo vigu

Ju disse...

"(...) partilhar do rumo dos seus risos".

Que coisa mais linda. Tão bom vir aqui :)

Beijos com amor

izabella disse...

que lindo! que lindo!

diovvani disse...

E eu não perco você de vista. Leio-sinto, nem que seja a prestação. Viu? OutroAbraçoDasGeraes.