quarta-feira, abril 11, 2007

Corpoema.

Vem e me arrebata:

Revolve meus cabelos
Golpeia meu juízo,
Suga minha fala.
Arranca à minha voz a falsa calma,
Transborda meu sorriso.

Seja aquele,
devassa meus limites,
derrete meu pudor entre teus dedos,
Rasga minha carne rubra de desejos.

Deposita em mim a essência morna dos teus beijos,
Cola teus versos de sal e alinhava
teu poema em meus cabelos:
Publicado em mim, me baste.

21 comentários:

Leandro Jardim disse...

Muito bom Rayanne querida!!!

E a nova idéia que dá o final ficou... genial! hehe

o Jardim rega suas flores para ver se elas crescem e se aproximam da Estrela no céu azul profundo... hehe

beiJardins

Lubi disse...

Estrela, quanto tempo sem vir aqui. Tanta falta de tempo.
Como está?

Beijo enorme.

paulo disse...

... desejos e suas vicissitudes, sempre a arrancar-me um pedaço!
.
.
thanks pela dica, thanks!
.
beijos!

Ácido Poético disse...

Maravilhoso, parafraseando o poeta: te acerto em cheio o mel e a ferida...

Um beijão
Brunø

Nirton Venancio disse...

bendito seja o paradeiro desse poema!

douglas D. disse...

o espantalho tem mesmo isso, de dor e de beleza, de amor e de solitude...
bjo.

Elenita disse...

Cacete!

(Saiu um palavrão.)

Forte, denso... LINDO!!!

Este eu vou roubar. Te aviso quando depois.

Estrelas! =******

Lubi disse...

Ah, flor. Saudade vem visitar e eu venho pra deixar-te um beijo.

alex pinheiro disse...

Venho de vagar pela blogsfera e acredite, esse foi o blog que me arrancou sem controle minha atenção... mto, mto, mto, mto, mto esse poema... parabéns!
Bjs e votos de invenções intensas!

diovvani mendonça disse...

Oia!!! Oia, oia, oia...
AbraçoDasMOntanhas.

Márcia(clarinha) disse...

denso no equilibrar do leve...perfeito!
carinho meu procê,flor
beijosssssss

Anne Baylor disse...

Uhhh...
Ofegante...

Muito bom.
Prazer..
BJs

cza disse...

lindo, sempre
:*

Beanes disse...

CARAMBA!! passo uns dias sem te ler e quando volto, pancada! que coisa mais linda esses versos. você continua brilhando muito, moça das estrelas.

Adriádene Cavalcante disse...

Nossa, menina, que coisa linda de se ler!!! Também não te largo mais!!! Beijos e beijos!!!

Octávio Roggiero Neto disse...

o prazer e a dor de entregar-se de corpo e alma... neste movimento tumultuado de sensações nos descobrimos em todos os sentidos.
beijos saudosos, princesa das poetisas!

Múcio Góes disse...

poema tatuado: coisa de pele.

minha Supernova.

bjsssssss

paulo vigu disse...

Ser o que lhe bastaria colando versos e alinhavando poemas. Voar juntos em outonos e ler nuvens. Ser aquele um de sua poesia. Lindo, hein! Riodaqui/beijo aí

Sandra Regina de Souza disse...

A última estrofe... tão arrebatadora que cala e fala mais do que a dor... de quem geme de amor!
Beijos (hoje paulistanos..rsrs)

Elenita disse...

hoje esse seu texto é meu... hoje esse seu texto sou eu....

obrigada por escrevê-lo pra mim... =)

Ivan Maia disse...

Olá Rayanne,
adorei seu Corpoema e por isso convido-a a conhecer meu site e meu blog que se chamam justamente por essa mesma metáfora que venho elaborando como conceito filosófico.
Os endereços são:
www.corpoema.hpg.com.br
www.corpoema.bolgspot.com
abraço, Ivan Maia.