quinta-feira, abril 19, 2007

Sobre.

Inquieta.
Quilômetros de veias além.
Motivos.
Iras multiplicam micro-explosões,
Celulares.
Afunda no sono e a vontade,
Primeiro.
Não sei quem era,
A geografia diversa das verdades.
Busco.
Resistente à globalização do sexo e
das vaidades.
A uniformização do amor.
Antes.
E os sussuros declarados
assustam beijo revelador.
Depois.
A pele morde os dentes
E o que era choque vira panfleto
Carregando de mais cinzas a cidade.
Quero.
O perfeito sentido e o resgate da cor.
A cantiga distraída entre os lábios
Os bem-mal-me-queres da flor.
Quando.
Espalhados no ar vão meus ciscos,
teus olhos de passagem ariscos,
E a mais fina, fina dor.
Conquisto
Com cisco
Seu amor.

22 comentários:

Ju disse...

Que coisa mais linda, querida!
Cada palavrinha foi entrando com plena delicadeza em meu ser.
Saudade de vc, viu?
Bjs

Beanes disse...

Lindo, lindo! Linda!

camila disse...

e sendo os olhos as janelas da alma, seus ciscos hão de tocar bem fundo. uma galáxia para tuas estrelas, ju.

Lubi disse...

Boca um tanto aberta. De seus poemas, para mim, o que mais é, mais "conta".

Beijo.
Amo.

Ácido Poético disse...

"E os sussuros declarados assustam beijo revelador ..."
Nem preciso dizer nada...

Beijos revelado procê, moça
Brunø

paulo vigu disse...

Ciscos no vento, olhos ariscos, riscos e um lalala no canto da boca, enquanto vai despetalando a flor: isso é amor. Riodaqui/beijo/Paulo Vigu

paulo disse...

caminhos tantos!! adoro o efeito que tuas palavras me causam... é tudo tão real!!
.
beijos, meus!
.
paulo

Cristiano Contreiras disse...

Um sentido em busca d'outro sentido.

Nirton Venancio disse...

gostei da construção do poema! E a essência e a substância que as palavras dizem também me emudecem. Escuto. E o cisco no olho. Doce incômodo.

Bill disse...

Conquista que sempre saímos conquistado...

"E os sussuros declarados
assustam beijo revelador."

Belas palavras (=

Beijo e otimo fim de semana...

:*

ricardo divino disse...

Lindo...

no ano que vem termino meu comentário.

(há certos escritos que nos provocam isso. Nos jogam - sem piedade - em um outro lugar. Nos deixam lá, ruminando, pensando, transformando, saboreando, absorvendo as delicadezas distantes)
Obrigado.
:)

luciano disse...

Olá, se você puder, por favor visite meu blog literário.
Aumente o volume e vá até à sala onde estão guardados os
PAPIROS DE ALEXANDRIA
http://papiros.zip.net/
Se gostar e quiser me adicionar na sua página, vou adorar!
Abraços
Luciano

Octávio Roggiero Neto disse...

porque as palavras em transe da poetisa transbordam as regras básicas da língua, das formas surradas. um turbilhão de sensações suscitado, assim, de súbito.
percebo no poema "sobre" um exercício de espontaneidade.

beijos, Rayanne!

Helder Hortta disse...

que poema vigoroso, parabens. vi muita força por aqui.
Saio mais forte que entrei.
abraço

Jeniffer disse...

Oláaa!
parabéns pelos poemas!
Eu estou sempre de olho no gavetadetrecos e axei teu link lá,mt bom!
beijos

fazendodeconta disse...

Tantos detalhes... nas entrelinhas tudo é mais interessante...

adorei o texto...

é, vc não me conhce de lugar nenhum... sou um andarilho virtual, colhendo tudo que sejam flores...

fique bem...

Sandra Regina de Souza disse...

Paralisante. Reli "n" vezes e não consegui sintetizar sensação desorgazinada que fiquei. Idéias transpõem barreiras geográficas e a conquista, estática, parece brincadeira. Permanece uma agulha penetrando finamente cada pedaço explorado pelo pelo amor... e continua doendo... (Acho que não deu pra entender nada...rs... mas é assim que me sinto. Lindo tudo isso, moça!!) bjosssss

cra disse...

bom dia

Késia Maximiano disse...

q lindo =)
amei =)
bjos

Pedro Pan disse...

, teus versos tão bem conuistam...
, beijos meus.

Paulo Silva disse...

Palavras mágicas que encantam qualquer leitor.
Uma boa semana.

diovvani mendonça disse...

Putz!!! Pô, em que pedra você está amolando seu pensamento? Você cada dia ++. Eu tenho andado ... resistente à bobalização. AbraçoDasMontanhas.