quarta-feira, maio 30, 2007

Da espera febril.

A lua doendo o céu
e geando incertezas.
Ardências azuladas escrevendo em pele
o recado familiar de esperas.

E está alí, a dez passos impossíveis,
ao alcançe intangível da razão.
Mas saber-te.
Ao sabor doce e denso que nunca
- Nunca -
Cavalgou a língua
Tropeça desejo em minha insônia.

Picante assim escorre a pele
- Febre -
Onde segredado está o amor.
É assim saber-te:
Vulto, vão
vil, visco
vário, vilão:
E o olho agarrado no teu passo lento
Cisco
De quem não tem pressa de chegar.

quinta-feira, maio 24, 2007

Ganhei de presente.......

Será que a imagem fala, mesmo, mais do que as palavras?

Bom. Vídeo e Som de um amigo meu.

http://www.youtube.com/watch?v=AfhVapovaRE


Quando uma estrela
risca horizonte
E passa por ti,
Tenha certeza,
Essa estrela
É cadente em si....

sexta-feira, maio 18, 2007

Outonal.

E o pôr-do-sol que incandesce o olhar
Contrasta com o ar que, frio, invade o peito.
Eu vento prá casa
Sigo as estrelas em meu peito.
A geada é fina cá dentro,
E guarda a beleza rendada dos cristais da dor.
Tem alegria onde sou rio:
Lavando embora o que não é cor.
A vida brindando,
brinca morna,
Na ausência do amor.

terça-feira, maio 15, 2007

Da estrela-mãe, estrela-guia, amor maior.

"Rever-se,
Reverso.
Revisitar
O verso."

(Néli M. Brandão)

**Isso mesmo, mamãe!!!!
Ela não é o máximo???

terça-feira, maio 08, 2007

Um pouco de poesia.

Poesia me toma -
Doma,
Me adensa.
Alargo o sorriso
prá caber
Lua cheia.
Esse encanto é disso:
é que o amor,
enleia.
E abraça, acontece,
mesmo o amor amigo
é mais doce,
parece.
E é por isso,
eu canto
E derramo um verso
na tua pupila:
e enquanto te converso,
segue o amor
Comigo.

BLOG DE SETE

Hoje postando aqui:

http://blogdesete.blogspot.com/

sexta-feira, maio 04, 2007

Da dor

E quando doer, ria.
Mas ria alto
Prá toda dor te esquecer.
E deixa todo o vento
E a chuva forte
Abraçarem você.

E quando a tristeza te olhar de frente
Mostre os dentes
Ela vai perceber.
E deixa atravessar todo o frio,
Que te resta o verso
para aquecer.

Fecha os teus olhos de prece
E deixa a poesia
nascer.

quarta-feira, maio 02, 2007

Mudança.

Mudando,
Mudez
Muda.
Amiúde,
Miudezas
Mandam.
A mistura:
Amor.