terça-feira, julho 31, 2007

De Primavera.

Cada manhã que nasce

Sorriso se agita,

Sem disfarce.

segunda-feira, julho 23, 2007

Dedicatória.

Eu vinha guardando esse amor.
É uma jóia delicada, um amuleto poderoso,
é a maior coisa da vida, sem ele, tudo vale nada.

É teu.

Bebe a essência guardada nas estrelas do céu da boca.
Colhe esse arrepio que planta caminhos na geografia.
Absorve no meu abraço toda a entrega incandescente,
Guarda o reflexo da minha alma nos teus olhos.
Assim, segue comigo.

És agora a outra metade destes passos,
e a fusão da sombra, do amor e do destino.

És minha vida.

**Para você.

quarta-feira, julho 18, 2007

Palavras curtas prá amor tão longo.

**Eu quero também
Matar a sede
Apanhar na rede
Essa alma além!**



**À nossa imagem e semelhança
Segue a vida, vai,
Que a medida que te alcança
É a altura do teu próprio ai!**


**Meu perto
Mais dentro:
Trago você
No pensamento**


**E torna em sopro
Coração desconfiado
Alegria de vento
E amor descompassado**

***Inspirada no amor, cantiga de vento, e em tantos queridos!!! Vocês.

sexta-feira, julho 13, 2007

Das coisas que só o amor.

Porque é prá você que eu visto meu melhor sorriso*.
E quando a saudade insiste, eu bordo um telegrama
n'alma, assim:
Urgente envio coração Sobrecarregado de ausência
tua Beijos se derretem na candura dos teus dedos
quando me lêem Ps:. adoro e estrelas

E na ponta dos pêlos, das peles, desejo domado pela
espera. Uma lágrima antecipada de despedida antes,
para guardar apenas o aperto entre os teus abraços.
O encontro anunciado causa agitação entre as células,
comove águas e sais dos olhos, agita todas as flores
que emergem na superfície tensa da pele.

É fácil saber-te próximo, quando a carne se abala
sísmica, entre a idéia e a mensagem. É doce saber-te
guardado nas estrelas dos olhos, gravado à tinta e-terna
no negrume das pupilas. É sólida a construção do querer,
para abrigar todo o florir dos acontecimentos.

**Com rumo. Com riso. Com rima.
*linda metáfora da Czarina.

sexta-feira, julho 06, 2007

Doce.

Meu amor,

O dia amanheceu os olhos vermelhos,
afirmou cansaço, imaginei saudade, firmou-se distância.
Um sorriso tangencia a borda mais calma do sentimento,
enquanto a lágrima afiada corta a rigidez da pele.

Pressinto teus olhos grudados no azul e me transfiguro
em horizonte, para caber-te dentro.
Vai distante o dia em que caminhavas mudo e sem rosto,
meu pensamento.
Hoje vejo refletida uma estrela em cada palavra que
que se aninha no teu sorriso.
E a tua chegada vai descabelando os calendários,
Levando os minutos de dentro.

Espero.
Espero teu desembarque em minha alma,
Teu lugar posto em meu peito,
E o olhar aceso, com jeito.

** Com rumo. Com rima. Com riso.