quinta-feira, dezembro 06, 2007

Para a moça.

Ah, meu amor.

Prá você eu também digo:
abre todas as portas e as janelas.
Deixa a tristeza passar por ti, minha pequena. Não segure as mãos, não olhe demais nos olhos da fera. Abre as portas e o coração, abre os olhos, deixa ela passar. Ela vai devastar o que encontrar por cima, tristeza é besta fera, se não encontra colo, quebra. Mas é só o de cima que ela desmancha. Você leva um sorriso prá dentro de você. Ela não vai poder derrubar. E aí, depois de tudo vc sai: e começa de novo.
Eu sei. Sei o que é acordar sem ter sonhos e desejar voltar. Mas é quando a gente dá abrigo à tristeza. Abre a porta, deixa ela passar. Tristeza é fluida, não represe. Abre os olhos agora.
Inspira. Vê?
Milagre: é vida.
Olha no espelho, enxerga:
alma sua, todinha.
Olha na janela:
Não, as pessoas que andam,
brincam ou sofrem lá em baixo,
não são medíocres. São pequenos milagres ambulantes. Pequenos universos que podem ser desvendados pelo teu sorriso.
Quando a gente oferece tempo demais à tristeza ela não esquece...se o de dentro dói, vive o de fora! Plante em alguém um sorriso, cultive carinhos. Eles estendem as flores e os brotos novos para o seu dentro. O amor não é só o romântico. É amar. Só. Começa fora quando dentro dói e volta prá dentro. AMA. Entrega tua alma e vê. Quem te precisa? Tanta gente de alma à beira da morte precisa de um sorriso teu. Essa morte lenta do espírito. Quando você não tiver mais nada, dê. Dê de si, é o segredo. A dor se assusta com a bondade. A tristeza teme o amor.
Acredita em mim se eu te falo, minha pequena.
O céu se veste de azul para os teus olhos.
As folhas mergulham de um balé único e acrobático do alto de suas copas, suspirando pelo teu olhar.
As folhas se dobram branquinhas ante as tuas mãos pedindo tuas letras,
teu amor, teu viver.
Ponha um pouco de cor na ponta dos dedos, experimenta abraçar antes de esperar o abraço. A ponta de um sorriso pode começar na solidão de um, pincelada na tristeza d'outro e unida pelo abraço. *Um uníssono com a vida, amar, se aprende amando*.
Aqui dói também...
Mas eu já aprendi que passa.

AMo.

***Todas as estrelas***

6 comentários:

Lubi disse...

¬¬

Amo você. Um monte.

Beijo.

Paula Calixto disse...

*Um uníssono com a vida, amar, se aprende amando*.

É vero! Em estrelas que não se apagam, apenas descansam pra outra (o Sol) brilhar em sua órbita reservada.

Beijos, lindeza.

A czarina das quinquilharias disse...

acho que lembro, não leu aqui depois do sorvete de (yuck) feijão na mesa da cozinha?
coisa assim de levar pra vida.
:*

Lubi disse...

"não leu aqui depois do sorvete de (yuck) feijão na mesa da cozinha?"

(Ai, ai. O que eu tenho feito da minha vida, hein?)

Beijo.

Tarjha disse...

parabéns!

Lindo blog.
Textos tocantes e inspiradores!

Menina da Lua disse...

Nossa, era justamente o que eu estava precisando ler! Seu texto me achou! Parabéns, vc tem um dom lindo lindo lindo lindo! Sorte nossa, que podemos ler! Um ano novo repleto de estrelas!

PS: Eu postei seu texto no meu blog, mas NÃO COMO SE FOSSE MEU, Ok? E coloquei ref(v)erências a vc, tudo certinho! ;)