quarta-feira, outubro 03, 2007

Do amor pausado.

Toma.
Meu desejo está construído de partida,
e é uma lâmina dolorida a alegria plena
-E breve -
De te amar esse instante antes da eternidade.
Os pulsos seguem ritmando a saudade:
Perdi as linhas e o compassso do que deveria dizer.
Olha
É cristalino o sorriso que se funde à lágrima
Selando a branca espera, sinfonia fecunda em Si
Enquanto eu moldo o teu abraço na ausência
Para acomodar meus soluços.
Amor,
Teu beijo,
Vírgula mais feliz da página,
Sangrando meu lábio na frase,
antes de continuar a história.

8 comentários:

paulo vigu disse...

Em versos musicais daqui, saio sabendo que uma vírgula pode ser a coisa mais feliz de uma página. "," - Belo verso. Riodaqui aí - Beijo - Paulo Vigu

A czarina das quinquilharias disse...

segundo capítudo a caminho, veloz veloz...

renata disse...

a menina das vírgulas exatas. beijo!

Sandra Regina de Souza disse...

Menina!!!! Que é isso?? Lindo! No peito, vc sabe, bate um desesperança ácida... triste... "Enquanto eu moldo o teu abraço na ausência/Para acomodar meus soluços" (que coisa mais doce de sentir!)
Amo...
Choro...
Vivo!
Beijos

Marla de Queiroz disse...

Poesia mais linda é vc, assim toda derramada de amor...
Eu daqui torço e celebro...

Ramon de Alencar disse...

...
-Realmente, uma pausa mínima para um compasso sincopado pelas notas sustenidas do peito. E mesmo a música é composta por notas e pausas. E a pausa é harmônica com toda a nota. Seja ela grave, ou alta...

Belo Adágio este o seu, eu digo.

Raiça Bomfim disse...

"... hoje eu quero apenas
uma pausa de mil compassos..."

amor lindo.

grande abraço.

Leandro Jardim disse...

beleza de eriçar os pêlos!

saudosos
beijins
do Ja
rdinzin