sexta-feira, outubro 05, 2007

Eternidades divididas.

Eu quero que o eco do teu sorriso forme uma arco
E, unindo nossos absurdos
Cristalize em sol a eternidade da tua volta.

Eu quero abrir meus braços e abrigar todo o teu silêncio
No macio mais doce dos meus sussurros.

Eu quero invadir tua veia e tingir tua lógica
Com a fome mais insana dos meus beijos.

Eu quero ser estrela,
meu amor,
iluminando o caminho dos teus olhos.

5 comentários:

Diana disse...

Eternidades divididas, compartilhadas entre beijos e sussuros de dois namorados. Lindo poema. Parabéns!

camila disse...

estrela, minha ray, você já é. que teu amor cresça cada vez mais! beijos de eu de cá, toda derretida!

Gil disse...

Um raio desafiando a curvatura do planeta.

(e ainda é apenas mais ou menos o que é)

beijo

Paula Calixto disse...

Que seu Sol encandei-o na luz de iluminá-los!

Beijos

Alexandre Beanes disse...

amém!