domingo, novembro 11, 2007

Fui por aí.

É porque você verso
E valsa, insiste.

Vai rodopiando a letra triste
Versando amor
Que sussurando teu sabor
Persiste...

Num movimento impensado
Desço da dança.


E se alguém perguntar por mim
Diz só que eu fui.


É que quem tem vai por aí.
Amor.

Tava me chamando assim, sabe?
Uma voz doce.
Quem resiste?

Fui por aí.



Uma volta no mundo,
um mergulho bem fundo,
Que eu só de incêndio,
A (s) cendo.

5 comentários:

Lubi disse...

O que eu queria ler aqui.
Um sentimento grande assim dançando no estômago.

Amo você, minha flor.
E torço tanto pela tua felicidade.

Alexandre Beanes disse...

eita que o danado do amor
dá verso e letra
escancara pro mundo
o amor bem vindo
que separa a curva da reta
mata e vive no peito
como quem aluado fica

amor distante, balela...
o que a poesia apazigüa
e o beijo aproxima
o amor que segue em paralela
a se cruzar no infinito


(beijos amiga estrela d'alva)

A czarina das quinquilharias disse...

=)

paulo vigu disse...

Aqui transverso e também vou. Beijo na dona daqui

Paulo Fernando disse...

Isso é muito lindo, muito bem construido. Senti música aqui!

Bjos