quarta-feira, março 26, 2008

Dentro da linha.

Verso me vive
Inventa a vez,
Destila a voz.
Vacina fez
De duvidar,
Feroz.
Verso me vive
No vácuo do vôo
Anulo o solstício,
Engulo, entôo,
Um verso físico
Prá me lançar na foz.
Verso me vive
Vicia o cio
Morde na risca
O que não perdôo.
Verso me vive
A singrar as sínteses,
Verbalizando a dor.
Verso me vive
E em rimar
insiste a cor.

terça-feira, março 11, 2008

Livre.

Eu ouso.
Você não.

Eu repouso.
Você, tensão.

Eu, ou.
Você são.

Você pouso.
Eu avião.

Você tenta...
E eu te(a)nt(a)ção.