quarta-feira, abril 23, 2008

Naufrágio.

Meu coração é hoje um naufrágio,
é todo peso e profundeza
arrastando consigo meus olhos,
meus pensamentos e minhas vontades.

Meu coração hoje tem toda a agonia das marés
O desespero nebuloso das tempestades,
A melancolia das raízes que descobrem o ar.

Meu coração é hoje a tua ausência,
Recolhido em trovoadas rabugentas
para pensar.

Meu coração é hoje meu naufrágio,
e vai tão cansado
de busc_a(r)_ mar.

4 comentários:

camila disse...

em meio a tanta água, também tanta beleza.

que amanhã a maré seque completamente. e qualquer lágrima também.

meu carinho, estrela.

beijo e abraço apertado.

rogerio santos disse...

Tava relendo uns poemas antigos e li um comentário teu... Desatento, não retribui a visita...
Antes tarde do que nunca, não é ?

Deixo um poema autoral, que tem também o coração como tema, uma abordagem nada convencional, que até hoje não sei bem como fui escrever..rs..

;-)

Rodosentimento
ROGERIO SANTOS

coração pneu de carro
desvia dos sobressaltos
resiste derrapa na curva
machuca se cai no buraco
altivo se roda alinhado
é rei conduzindo vassalo
até que a morte os separe
até que termine furado
/

Pedro Pan disse...

, "melancolia das raízes que descobrem o ar" muito forte esta frase.
, beijos meus.

Paco disse...

Adoro essa tua coisa neo-simbolista meio concretista de brincar com as palavras....

adoroooooo

o momento é triste, imagino.

mas que cor vc põe nos pulsos!

beijos