quinta-feira, setembro 18, 2008

Emergente

Contra tempo
Encontre tempo
De a ré, invente
Faço de novo
Um poema
Diferente.

Contratempo
Econtra a gente
Prá sorrir
Até o dente
E se comovo
É nova mente.

Contra tempo
Entre e tente
Contraprovo
Que alegria é
Ex-poente.

Um comentário:

Ácido Poético disse...

Por onde andas, moça?
Olha, eu não posso falar nada, só me justificar, pois é tanta correria, tanta viagem, tantos "tanta" que não me sobra tempo para comentar nos blogs que mais admiro. Pois é, meu Contratempo... Mas, espero que você não esteja zangada e saiba que, mesmo eu não deixando minhas pegadas nos espaços-comentários de seus textos-poemas, estou sempre lendo e saboreando cada letra.


Bjks
Bruno