quarta-feira, novembro 12, 2008

E quando as palavras tépidas
esbarrarem sussurros no teu arrepio
Eu vou escorregar dentro
dos teus olhos, cordilheiras,
E vou alçançar o horizonte
pela fresta dos teus medos.
À noite, quando a febre visitar tua insônia
Beberei dos teus dedos a fúria dos sentidos
Inquietando ondulações da táctil alma.
Depois, lento, o sabor invadindo tua veia
O calor à espreita na tocaia
E a vida, armando sua teia.

7 comentários:

Moca disse...

mágicas palavras.
um de seus textos mais belos.

** constelações**

voyager disse...

(suspiros)

de tirar o fôlego...

e ainda assim ler e reler e ler mais uma vez e mais uma e mais...

Paco disse...

LINDO TEXTO!

Adoro a sua maneira de misturar sensações sensíveis!

Oh minha violeta violenta!

Escorregar pra dentro dos olhos de alguém, só se for numa pista de sabão

ahahah (??? what? )

diovvani mendonça disse...

Belo!!!
De fazer delirar o horizonte.
~^ abraço ~^ ~ das montanhas

primaverasdesetembro disse...

ai que lindo..lindo mesmo

flores.

J.F. de Souza disse...

LINDO!!! =)




=*

camila disse...

lindo. linda. sempre!