domingo, dezembro 28, 2008

Poeiras, poemas.

Soul
Pó & SIA.


**Queridos....
Devido à interpretações "erradas" que me façam aqui, explico:

Pó & SIA = Po E SIA, por isso SIA com "S".......ai, ai.

9 comentários:

C. disse...

ô, moça. brigada pela visita e pelas palavras.
"Esse sentimento que aflora pelos poros e vai consumindo cada centímetro de pele, cobrindo as ausências desse tom angústia, eu bem sei." bem sabemos, né? tu pegou palavra minha e coloriu de um jeito mais bonito. gostei ^^
e aqui me senti bem.

xêro =**

Gustavo Jaime disse...

Rayanne, primeiro ponto: obrigado pela visita e pelas palavras! É sempre bom ter pessoas que nos leem (já no português atualizado) -- e melhor ainda quando deixam impressões.

Rayanne, segundo ponto: tens o nome de minha ex-namorada. Apenas com a sutil diferença de ter dois "n".

Rayanne, terceiro ponto: e é mais uma coincidência diante da anterior, pois temos o mesmo modelo de máquina fotográfica (hehe).

Rayanne, quarto -- e último -- ponto: teus poemas são contagiantes e tive de me segurar pra não lê-los compulsivamente. Pois explico: acabei de chegar d'uma viagem, preciso arrumar coisas pra mudança de casa e devo me ater a isso. Seus versos me tentam a burlar os planos... (e que bom quando aderimos às emoções em vez das razões, certo?)

Um beijo!

:: rita :: disse...

menina, seus poeminhas são ares com cheiro de manhã! parabens!
[amo poesia]

[rita]

J.F. de Souza disse...

O que se pode fazer
com
pó & cia.?

O que se pode ser?

Stella Polaris disse...

Oi, Rayanne.
Passei o ano-novo viajando e só agora vi o presente que você fez para mim. Fiquei comovida já com a mensagem que veio antes, falando de doçura, de esperança reconhecida, de beleza.
E o meu poema-presente é que foi de uma doçura profunda! Agradeço as palavras que recebi, que recebi com muito prazer. Derramarei também aqui meus olhos sobre suas letras. Um forte abraço, com o sorriso mais sincero.
Stella.

Rayanne disse...

POESIA, FEJONES!!!!!

ahahaha, a mais estrelada.

Gustavo Jaime disse...

A MOR
AMO-TE
A MORTE

J.F. de Souza disse...

Muié... Eu não interpretei errado... Poesia não se interpreta certo ou errado. Poesia se sente! Você devia saber disso! ;-)

J.F. de Souza disse...

Além do mais... Explicar poesia consegue ser pior do que explicar piada! Quebra toda magia do negócio! =P