segunda-feira, janeiro 05, 2009

Calafrio.

Calei, frio,
todo o canto dos cristais
todos os sonhos imortais.

Calei, frio.
Pela espinha,
circulando a turbulência
dos pavores ancestrais.

Calei, frio.
Suando vertigens,
O temor mascarado
dos desiguais.

4 comentários:

Alexandre Beanes disse...

Calei, frio.
palavras, saudades, mentes
que cortam a gente.

Calei, frio.
gestos de sobra, arrastão demente...
Fiquei suado, amado, quente.



muitas saudades, minha amiga. muitas.
beijos

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

Cala fria
a boca
ante a poesia

Miguel Barroso disse...

Calo-me no quente das palavras




Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Lubi disse...

inspirando poesias.
sempre, né.

saudade.

um beijo.