terça-feira, janeiro 13, 2009

Poema-grilado.

Todo poema é um grilo noturno
perfeito no contexto,
inquieto no conteúdo,
incômodo aos demais.

7 comentários:

Alexandre Beanes disse...

queria ter um décimo dessa sua "produtividade" (entre aspas pois seria melhor chamar de inspiração) associada com seu talento...muitas saudades (é, a saudade nada tem a ver com o comentário, mas se fez forte para aparecer).
bjs, minha amigaflor

Leandro Jardim disse...

hehe, tens parcela de razão, gostei! saudades... beijocas

Moca disse...

caramba!
absolutamente genial!

Milah B. Parker disse...

Bom dia, Flor.
Venho nesse seu espaço para informar que começo uma nova jornada.
Abandonei meu blog antigo e encontro-me neste:
www.damadearagorn.blogspot.com

Bem.. não sei o que será de mim na nova caminhada, mas não dava mais para continuar vivendo de passado.

Espero poder contar contigo da mesma forma que antes.

Um grande abraço.
E espere, pois estarei mais presente.

:: rita :: disse...

. seus poemas fazem um bem...!

Paco disse...

eu gosto de grilos.

talvez seja por isso que eu goste tanto de poesia.

e seja tão chata, também, mas isso era óbvio.

Múcio L Góes disse...

rsrsrs..

é bem por ai, malove...

bjo!