segunda-feira, março 02, 2009

Espera lasciva.

E falando desse jeito velado,
que o corpo tem de gritar.

São bicos de seios crispados
E uns pêlos eriçados de revelar.

É a boca que se morde muda,
os lábios que umedecem
de fazer corar.

O brilho não se esconde no olho,
a ansiedade nos suspiros que encolho
Nessa espera do teu regressar.

6 comentários:

Lu Paes disse...

Oi, Rayanne!
Nossa, que poesia linda!
Você escreve MUITO bem. Te admiro demais...
Queria saber escrever poesias e poemas um décimo de como você escreve...isso já seria ótimo!

Obrigada pela ótima recepção!
Fiquei feliz em saber que sou bem-vinda aqui..(apesar de achar que agora o ´certo é benvinda...odeio esse acordo gramatical!)

Beijos da nova seguidora
Lu Paes!

Rayanne disse...

Lú, continuo resistindo aqui, com minhas tremas, barricadas e rabujices, ao novo acordo gramatical.
ahahahahaha.

***Estrelíssimas***

Alexandre Beanes disse...

mais uma lindeza.
e as rabujices gramaticais nada tenho a ver com isso...rs...

beijos, Estrela.

Rayanne disse...

Ô, Rabuja! Lindo é tú, visse nego?

Mas que eu lembro de ti na hora das rabujices, ah, se lembro! ahahaha

**Estrelas**

Madalena disse...

Se tivesse sexo, estaria excitada.
[...]

Sandra Regina de Souza disse...

uma "Escrita lasciva"... pra deixar qualquer espera aflita!
Confetes para vc, Estrela!!