quarta-feira, maio 27, 2009

Das batalhas.

Afundei os dedos no corte
Enquanto as cores da morte
Drenavam todos os ais...

segunda-feira, maio 18, 2009

Estréia.

Saquei da minha pena e...
TREMA!

EloqÜente,

Entrei em cena.


**(eu me recuso a abandoná-las!)

segunda-feira, maio 11, 2009

De rotas.

Buscar novo rumo
Voltar ao prumo.

Buscar outras rimas,
usar outros remos

Traçar novas rotas
Mudar o resumo.

terça-feira, maio 05, 2009

CARTA ABERTA.

"Carta aberta aos poetas
e aos poemas conjugados"

Tudo começou com algumas letras. Alguns sentimentos rasgando papel e tela,
ganhando formas, abrindo as asas na forma de versos. As teias vivas se
cruzaram e ganharam essa forma de rede que guarda hoje os nossos corações.
Fomos prosa e poesia, verso e trova. Fomos riso e lágrimas, fomos a urgência
das fomes, a comunhão dos avessos.
Nós, que todos já fomos os estranhos do ninho. Agora somos caminho.
Caminho para as incorporações da poesia nessa forma viva que nos habita.
E nesse 1° e 2° dias do mês de Maio do ano de dois mil e nove, grafado
com força inimaginável, o encontro. A comunhão de todas as saudades e alegrias.
Emocionados? É pouca, a palavra. Ficamos no avesso dos versos, florindo as peles.
Múcio, montanha que nos veio, facho de luz: obrigada. Você simplifica a vida.
Você versa a vida. Se permite e nos permitiu também. A doçura é tua.
Luciano? Todos nós somos gratos pela tua lealdade, tua dedicação, tua sensibilidade.
Sandra, nossa anfitriã mais que perfeita do dia 1°: Obrigada! Tua entrega à poesia se traduz nos gestos e no carinho que dedica à cada um de nós. Flor revelada.
Octávio, o que eu vou falar de você, menino, grande homem? A generosidade cora frente ao teu desvêlo. Doce e preciso, a grandeza do que é vem estampada na face. Obrigada. E obrigada Débora, tua companheira mais-que-perfeita, suave e forte na medida.
Czarina? Obrigada pela tua alegria. Pelos teus comentários de hora exata, pelo espanto que causa tão imenso conteúdo em tão singela doçúra. (sou fã).
Mirela, obrigada pelas tuas cores! Eu que andava tão embotada de saudades.
Fejones, menino. Você não imagina com que alegria que me espanto contigo. Com a "amadurescência" e alegria estampada na tua figura. Obrigada.
Keila...conversamos pouco, mas eu gosto tanto! A doçura quase disfarça a força.
Jardim, obrigada pela presença, pelas palavras e pelas flores que nos planta. E obrigada à Lysia, tua companheira linda e queridíssima.
Elaine, bonita! Obrigada. Foi bom poder compartilhar um pouco mais de ti. De fragilidade aparente e uma imensa força que nos faz acreditar na possibilidades.
Lubi, minha flor. A segurança vem crescendo nos teu olhos, a vida bordando um lindo caminho nas tuas letras. Obrigada.
Thiago, Samanta, Cíntia e demais amigos do Múcio que eu não conhecia: Obrigado por nos brindarem com sua alegria!
Rodolfo e esposa, obrigada pelos sorrisos fartos, pela delicadeza das palavras e dos gestos!
Moacir, goiano mais que querido, coisa linda, Patrícia, linda, indiazinha dos negros cabelos: obrigada. Por virem, por serem,por estarem. Pela alegria que espalham onde passam.
Luzzsh, eu não podeira esquecer: obrigada. Pela sua encantadora e doce presença, e por nos presentear com a presença da sua mãe queridíssima!!!!

E, Octávio: agradeça pelo carinho e pelo abraço de mundo da sua mãe-baiana-porreta!(E ela me desculpe no lançamento, eu tava muito tonta de câmera-girl com 3 câmeras, acabei faltando com um abraço indispensável!!!!)
E obrigada ainda, Octávio, pelo presente-surpresa Paulo Bomfim, poeta do meu sempre.

À todos que eu não citei nominalmente, que a minha memória teima em me deixar: OBRIGADA!!!

Como eu já disse antes: OBRIGADA POR SEREM.

Por esse encontro tão especial de pessoas tão especiais.
AMo vocês. Por favor não se percam de nós.

***TODAS AS ESTRELAS FULGURANTES***