segunda-feira, julho 20, 2009

Do voo ao solo, insone ou Voo solo.

Meu, te doo
Todo o medo
Deste voo.
Seu, perdoo
Todo o monólogo
Que agora
Soo.

5 comentários:

[x] disse...

aqui as palavras deslizam tão graciosamente, que parecem feitas de manteiga. :)

Thales Capitani disse...

.

dançemos a dança da desilusão
e leiamos o que escreve
doa-nos assim.

Parabéns Poeta.

camila disse...

linda! cá estamos nós, mesmo monólogo, lhe soprando aplausos.

Paulo Viggu disse...

Em águas frias de um inverno, saudade fica na margem. Beijo aí, moça. Paulo Viggu

cra disse...

ei.