terça-feira, outubro 27, 2009

E ponto.

Amor soberano:

Sobre os anos,

Sobramos nós.

quarta-feira, outubro 21, 2009

QUEM DIZ

Há-mar
É (só) Dor,
Mente.

sexta-feira, outubro 09, 2009

Tinto.

Sem pressa,
Sinto.
Escrever é um verbo
Tinto.

sexta-feira, outubro 02, 2009

ONTEM ERA TANTO...

Ficou adormecido no abraço
Teu perfume
Rodopiando os poros,
No balé sedutor do desejo.
Teu abraço-navio
Ancorado no cais da saudade,
casco banhado
de ondas mansas mareando os olhos.
A impressão salgada das distâncias...

Ontem já era tanto
Mas o hoje
Vem repleto de ti,
Pescaria farta
Das lembranças.

Sau dade, ardendo as fendas
Abertas entre os dedos
Quando descoladas as tuas digitais.
A boca, sede da tua boca
Na morada dos teus segredos.

Meu amor nú vem
Aninhar feito vento
Tuas velas
No convés das ausências.

Sopra feroz
Teu nome,
Uivando sól idas
semanas entre
Nossas urgências.

Ontem eram tanto
Quanto hoje,
em ti,
Encanto.