quarta-feira, dezembro 02, 2009

ENFIM.

E agora
o sorriso largo
abriga todo o cansaço
na repetição da espera.

Agora
Os poros se lambem,
As mãos não cansam
na conjunção das sensações.
As línguas
repetem caminhos
os pêlos, desalinhos
preenchem de carinhos
As pausas
As vírgulas
E as casas.

Agora
O sal cristaliza essências
bordando esse perfume
Ardido de exigências,
E sílabas cortadas
e coladas
Publicam, já coradas,
Essa nossa urgência
que se chama amor.

3 comentários:

Thales Capitani disse...

.

E dizem dele belo
E ele até assim pode ser chamado
Lembrando que é sempre ele o algoz e motor da vida...
Gostei das silabas cortadas que entendeme subentendem

Thales Capitani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J.F. de Souza disse...

assim colados
sem dar espaço
pra saudade