sexta-feira, janeiro 29, 2010

A PENA DO GRITO.

Queria gritar
Gritar esse incômodo
O não caber
Não ajustar
O não ceder.

São palavras e palavras
formigando a língua e os dedos
abandonando
à mingua os medos.
São palavras soltas
santas, sonsas
palavras más e sãs.
São palavras
que me comem a calma
e me escrevem a alma
todas as manhãs.

Eu queria gritar
esse veneno de tinta
que escala as veias
essa febre azul que pinta
às vezes
as vozes
letra por letra
costurando-me as asas
bordando no papel
a altura do vôo.

Eu queria gritar que a poesia
Mas a mordaça de letras
Essa vontade, verbo que anestesia,
E às palavras
O meu voo
Sentencia.

Eu,

que

ria.

7 comentários:

TIA AUGUSTA disse...

desse jeito vc se cala. até ficar muda, só com palavras! muito bom!

Thales Capitani disse...

.

e me calo
e festejo
gosto mesmo
do modo como escreve
descreve e como uma foto nos mostra o que se passa

J.F. de Souza disse...

Teu grito sai mais elegante que os meus. (INVEJA!) =/

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Tudo que queria te dizer disse...

Grite entre parênteses!

Teu fã.

Liana disse...

Sou tua madrinha, tua fã, amiga, desta bela mulher que és.Linda por fora,mas acima de tudo uma mulher, uma pessoa, com muita garra e coragem, com um grande coração, e um belo interior. Não sei se devo dizer....mas vou dizer!!!!!!
Sinto um ORGULHO enorme, de você...
Minha afilhadinha, meninha meiga e cheia de surpresinhas, que tão derrepente, nem bem pisquei o olho, e agora te vejo tão derrepente, dona de sua vida....com decisões tão importantes para tomar....
Tens um lindo camiho pela frente, sei que é árduo, mas batalhadora como és logo estarás lá.
TE AMO MUITO MINHA MENINA....
Sempre serás minha afilhadinha!!!
Beijos

Maris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.