sexta-feira, dezembro 24, 2010

FELIZES SEMPRES.

Enquanto as palavras somem
Sei que voam livres e anamoradas
Altas, doces e desgarradas,
Inventando novas cores, gargalhadas
Para quando retornem às pontas dos meus dedos
Leves e coradas.

Enquanto as palavras somem dos meus dedos
Descrevem abraços e carinhos imaginários
Que a vocês,
Amigos, irmãos, poetas, almas pensantes,
Dedico e dedilho em sono e sonho, embora poucos,
Do meio da correnteza farta das rotinas.

As coisas me exigem mais do que desenhei,
Mas é bonita a paisagem ligeira que vão escrevendo as passagens.
Tão logo diminua o ritmo veloz das corredeiras
As estrelas vão pontuar novamente,
Ao invés de riscar o céu de desejos breves.

O amor é latente.

Sejam felizes, sempre!