segunda-feira, janeiro 03, 2011

Too soon?

Às favas com as métricas, as rimas e a simetria. Das favas.
Inicio o ano deslizando 
Diz (soon) antes
Very soon. E antes.
Antes que eu me perca de vez nesse labirinto de rotinas e relógios e compromissos e prazos e preços.
Eu me perdi nos rumos e rosas e nas horas teimosas, sons que insistem em vir.
(too soon).
Tudo vai mudar, você sabe.
Eu não sei. Sei. Tenho medo.
E não tenho. Eu quero.
(e também quero correr muito disso, sem olhar prá trás).
Mas se eu me afastar de você, vou ficar tão sem.
Ar. (too soon, babe)
Quando meus dedos se perdem dentro daquelas suas mãos grandes,
depois que você me encontra dentro do que eu sou (soul)
Então nem sei mais, sou. Soul!
Então. Tudo vai mudar, eu disse, mas já mudou antes. 
Você se mudou prá dentro do meu pensamento e me arrasta muito longe quando sai.
A saudade tem esses fios compridos embaralhando as vidas das gentes.
Aí eu disse que agora não tinha mais rima, nem simetria.
Mas sim! teria, a simetria de ser exatamente desse jeito que eu disse,
E de não ser porque eu me perdi. Ainda não sei quais são as guerras que eu vou ter que lutar
Pra poder ser capaz
Prá poder ser a capa
E az
Desse meu despertáculo.
A vida roendo a ponta dos dedos, e eu não
Esse não saber que me arde, me urge, me argh.
Ar.
Quando eu estiver finalmente contigo talvez faça sentido.
Sem ter, sentir não me é tido.
Too soon, babe.
But I'm really ready to know.

Um comentário:

camila disse...

eu, de coração apertado, corri aqui pra teus versos. e vejo essa dança - isso aqui é uma dança - e sorrio de canto, a boca barrando as lágrimas. você, estrela, sozinha, já é constelação.